symbol

5 Ago 2020

Pilates: cuide do seu corpo e mente na Physioclem

mask white
Pilates: cuide do seu corpo e mente na Physioclem

Conhece a base do pilates? Sabe como o pilates o pode ajudar?

Fique a conhecer um pouco desta terapia através do texto abaixo. 

 

O que é o Pilates?

O Pilates clínico é uma atividade física terapêutica orientada especificamente para a pessoa, na qual cada exercício é selecionado com detalhe, de acordo com as necessidades únicas e contexto de cada um. Tem como como principal foco a reeducação, manutenção e fortalecimento da musculatura estabilizadora da coluna, assim como da sua mobilidade, aliando-se a componentes de concentração, consciência corporal, correção postural e coordenação respiratória, através de movimentos precisos e fluidos, permitindo o trabalho conjunto do corpo e da mente.

 

Quais são os benefícios na prática do Pilates?

  • Fortalecimento geral do corpo, com foco nos músculos do core mais profundos (transverso, multifidus e pavimento pélvico);
  • Aumento da flexibilidade e diminuição da rigidez articular;
  • Aumento da consciência corporal;
  • Melhora a postura, equilíbrio e coordenação;
  • Reduz a tensão e stress;
  • Diminuição das queixas álgicas;
  • Prevenção de lesões;
  • Reabilitação de lesões;
  • Melhora o padrão respiratório;
  • Melhora a confiança no movimento;
  • Bem-estar físico, psicológico e social;
  • Promove um estilo de vida ativo.

 

Os 8 princípios do método de Pilates

Concentração

É fundamental para a prática do Pilates, promovendo uma melhor qualidade de movimento e consequentemente ganho de consciencialização corporal e capacidade para a ativação correta do centro.

Respiração

No Pilates, a respiração é feita através do padrão costal inferior, que se caracteriza pelo afastamento das costelas durante a inspiração e a sua aproximação na expiração. Durante este padrão respiratório, deverá haver o mínimo de movimento na região costal superior.

Centro

Corresponde à correta ativação dos músculos estabilizadores da coluna lombar, através da adoção da posição neutra da mesma. Quando adquirimos esta posição neutra - intermédia entre a hiperlordose (curva exagerada da lombar) e a retificação (sem curva) - ativamos o centro. Para ajudar nesta tarefa, imaginamos que temos um cinto em redor da cintura e que queremos apertá-lo, encolhendo a barriga e levando o umbigo em direção à coluna lombar.

Controlo

Princípio que está na base da execução de todos os exercícios no controlo do movimento, sequências, mudanças de posição e da respiração, melhorando assim a consciência corporal.

Precisão

Está relacionado com o rigor do feedback verbal e tátil que o fisioterapeuta transmite. Uma instrução exata irá desencadear uma resposta motora precisa e adequada, melhorando assim a qualidade dos exercícios propostos.

Movimento fluído

um movimento harmonioso e controlado deve ser integrado na sequência de exercícios.

Isolamento integrado

Transferir o que é aprendido em aula, como a ativação do centro, para as atividades da vida diária. Ou seja, o objetivo não é apenas ensinar a contração correta durante as aulas de Pilates, como também que haja uma execução destes princípios e competências para o quotidiano e/ou prática desportiva.

Rotina

Promovendo hábitos de vida saudáveis através do compromisso com a atividade física e bem-estar.

 

A que população se destina? 

O Pilates por possuir grande capacidade de adaptação aos diferentes tipos de população, pode ser realizado por todos - quer tenham ou não alguma condição patológica:

Idosos

Portugal avança em direção a um perfil demográfico cada vez mais envelhecido. Devido aos avanços da medicina, a qualidade de vida e a esperança média de vida têm vindo a aumentar. O envelhecimento é um processo involuntário e inevitável que provoca perda estrutural e funcional progressiva no organismo como: perda da massa e força muscular, flexibilidade, mobilidade, controlo postural, equilíbrio, aparecimento de queixas álgicas e aumento do tempo de reação que levam a um elevado risco de queda. O pilates contribui então para melhorar todos estes sinais e ainda prevenir ou retardar o aparecimento destes. Contribui ainda para um bem-estar físico e psicossocial, melhorando a qualidade de vida das pessoas com mais idade.

Adolescentes

A adoção de posturas incorretas, mantidas no tempo, é bastante recorrente nos dias de hoje, devido às novas tecnologias, principalmente neste tipo de população. Durante a fase de crescimento, é bastante comum o aparecimento de desvios posturais, como a escoliose, hipercifose e hiperlordose, resultantes da redução da flexibilidade, mobilidade e da massa muscular, levando por vezes ao aparecimento de dores. O Método Pilates, pela sua eficácia, tem sido uma boa ferramenta para alterações posturais.

Grávidas

Durante a gravidez e pós-parto, os músculos abdominais e do pavimento pélvico perdem algumas das suas características contrateis devido à sua distensão e modelação para acomodar o feto. Face a estas alterações é bastante comum o aparecimento de dores na região lombar. O Pilates combina alongamento e fortalecimento geral, consciência corporal, respiração e relaxamento sendo de baixo impacto e de poucas repetições, tornando-se assim um exercício seguro de ser praticado por grávidas.

Atletas

Pode ser praticado por atletas de todas as modalidades, de forma a prevenir ou reabilitar lesões, aumentando assim o rendimento desportivo. Os exercícios vão ao encontro da necessidade do atleta e do tipo de desporto que pratica. O Pilates influencia de forma significativa a melhoria da flexibilidade, mobilidade, fortalecimento da musculatura superficial e profunda, consciência corporal, proprioceção e redução da dor. Por estas razões, o atleta beneficia imenso desta prática.


Será que o pilates o poderá ajudar?

Veja na seguintes lista as áreas de atuação do pilates clínico (monitorizado por um fisioterapeuta especializado):

  • Lombalgias;
  • Hérnias Discais;
  • Pós-operatórios de cirurgias de coluna;
  • Escolioses/Atitudes Escolióticas;
  • Alterações posturais;
  • Espondilolisteses;
  • Artroses de joelhos/anca;
  • Omalgias;
  • Cervicalgias;
  • Disfunções da Sacro-ilíaca;
  • Incontinências urinária.

 

Existem contra indicações na prática de Pilates?

Sim, existem. Se vai iniciar o Pilates é importante que o seu fisioterapeuta faça uma avaliação da sua condição clínica, de modo adaptar a aula às suas limitações e objetivos. Em casos de lombalgias/cervicalgias, nunca deverá sentir dor durante a prática. Se  sentir poderá estar a realizar incorretamente o movimento ou este não ser o mais indicado para si. Este método possui para cada exercício vários níveis, sendo o 1º e 2º mais direcionados para este tipo de população de forma a causar menor tensão na região lombar/cervical, tornando os exercícios seguros na sua execução. 

Em caso de gravidez, a partir do segundo trimestre, é recomendado a substituição do decúbito ventral (de barriga para baixo) pelos quatro apoios ou decúbito dorsal (de barriga para cima) ou decúbito lateral, sempre com a utilização toalhas ou almofadas para conforto da utente e feto. Devem evitar-se alguns exercícios como a posição de “double tabletop” e “Shoulder Bridge”, em fases mais avançadas da gravidez e pós-parto.  

No caso de pessoas com mais idade, devem evitar-se exercícios de flexão e rotação exageradas da coluna vertebral e de rotação interna da anca, em casos de osteoporose. Em pacientes que foram submetidos a artroplastia total da anca, é aconselhada a flexão até aos 90º, a adução não poderá ultrapassar a linha mediana e deve evitar a rotação interna.

Venha experimentar Pilates numa das nossas clínicas Physioclem.

 

Daniela Silva

Fisioterapeuta

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

loading